5 de dez de 2011

2

Frutos do arrependimento


Em Lucas 3:8, na pregação do profeta João Batista, consta o seguinte apelo: produzi pois frutos dignos de arrependimento. Arrependimento significa “mudança de atitude para com o pecado”. É condição fundamental para a salvação: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado (Atos 2:38). Porém, assim como a árvore se conhece pelo fruto, o verdadeiro arrependimento gera mudanças radicais na vida do pecador. A mensagem de João Batista em Lucas 3:8-18 contém quatro frutos do arrependimento verdadeiro.
1oBondadeQuem tiver duas túnicas, reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos faça da mesma maneira (Lc 3:11). A Bíblia nos ensina que o nosso Deus é Bondoso (por exemplo, Salmo 31:19: Oh! Quão grande é a tua bondade...!). O próprio Espírito Santo de Deus produz bondade e benignidade na vida do pecador arrependido (vide o fruto do Espírito em Gl 5:22). O Espírito conduz o salvo à prática da regra de ouro do cristão: Como querei que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós também (Lc 6:31).
2oHonestidade: Aos cobradores de impostos, que nos tempos de João Batista eram reputados por desonestos e corruptos, o profeta mandou: Não peçais mais do que vos está ordenado (Lc 3:13). O mesmo Evangelho de Lucas relata a conversão do publicano Zaqueu e da sua imediata resolução de entregar aos pobres metade dos seus bens (o primeiro fruto) e também de indenizar quadruplicado todo o que houvesse lesado (Lc 19:8).
3oGratidão: Aos soldados que se diziam arrependidos de seus pecados, João recomendou: A ninguém trateis mal nem defraudeis, e contentai-vos com o vosso soldo (Lc 3:14). Além da integridade, o profeta recomenda que aqueles estivessem contentes, sem ganância nem avareza. O salvo sabe ser grato a Deus mesmo na dificuldade. O apóstolo Paulo recomendou este contentamento na simplicidade em I Tm 6:7 e 8. Em Hebreus também encontramos este ensino: Seja a vossa vida isenta de avareza, contentando-vos com o que tendes. (Hb 13:5).
4oHumildade: Este fruto aparece no testemunho que João dá acerca do Messias. O próprio Jesus referiu-se a João como alguém muito especial, o maior dentre todos os seres humanos (Mt 11:11). Porém, eis a visão que o próprio João tinha de si: Mas eis que vem aquele que é mais poderoso do que eu, a quem eu não sou digno de desatar a correia das alparcas.(Lc 3:16).


Por Paulo Rogério Petrizi

2 comentários :

  1. Vim fazer uma visita, ver o que está a escrever, e ao mesmo tempo desejar um natal feliz, e deixar também meu carinho e amizade em Cristo Jesus.

    ResponderExcluir
  2. Blog abençoado
    seguindo
    q DEus te guie e guarde
    mais e mais

    meu blog->http://pequenamasgrandemulher.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Me proporcione um sorriso bem largo. Como? Comentando! Please :)

Toda palavra de Deus é pura; ele é um escudo para os que nele confiam.
Provérbios 30:5